COMPROMISSO PARA O CASAMENTO

Introdução:

Ao tratarmos sobre este assunto, que entendemos ser de grande importância dentro do propósito eterno do Senhor de ter uma família de filhos semelhantes a Jesus, nosso objetivo é aclarar aos jovens os princípios do Senhor e as motivações que devem orientá-los para a constituição de uma família para Ele. Vivemos dias onde o sexo fora do casamento é normal; onde o namoro é um período de tempo onde é permitido satisfazer todos os desejos e impulsos da carne, por isso, não há limites para as carícias, a alma é quem dá as ordens, as motivações são as mais egoístas possíveis. Outra prática que surgiu nos últimos anos e se tornou muito comum entre os jovens e principalmente entre os adolescentes: O ficar, que é a mesma coisa que o namoro, com as mesmas liberdades, o que muda é o período de tempo. O relacionamento” pode durar alguns minutos ou no máximo algumas horas. A definição dessas práticas à luz das escrituras, nada mais é do que: Impureza, fornicação, sensualidade, imoralidade... (Gl 5:19). Diante de tudo isso, a motivação que deve estar no coração do rapaz e da moça, que são discípulos de Jesus, é o casamento e nada mais que isso.

O assunto está dividido em três níveis:

1- Amizade

2- Amizade com observação

3- Amizade com compromisso

1- AMIZADE

Como Deus espera que nos relacionemos? Deve haver profunda amizade entre os irmãos solteiros. Há um ditado popular que diz: "entre homem e mulher não há amizade". Isto não é verdade, é possível haver um relacionamento puro e santo entre irmãos e irmãs. Na verdade, o que tem acontecido é que há pouco relacionamento entre os solteiros, e mais, poucos sabem se relacionar da forma correta. São dois extremos, ou não se relacionam, ou quando o fazem, é com uma segunda intensão, não que seja má, mas a motivação já é de observação.

Isto cria uma dificuldade, pois ao se aproximar, desperta no outro a pergunta: "Será que está me observando? Será que está interessado? Qual a razão desta dificuldade? A razão é porque não é comum estarem juntos, para relacionarem-se e compartilhar. Temos que mudar a postura de só se relacionar se for para tirar algum proveito. Entre nós não deve ser assim. Temos que nos acostumar a ter um relacionamento despretencioso simples e desarmado. É possível um relacionamento santo, fiel e confiável. Essa possibilidade tem que estar em nós.

A falta de prática de estarmos juntos, cria uma certa insegurança, e não se consegue ser natural. Nos poucos contatos que acontecem ficam "cheios de dedos", "maquiados". Temos que partir para o relacionamento desarmados, livres da preocupação de ser aceitos, de ser bem recebidos, reconhecidos, de se auto-afirmar ou ainda, manter as aparências. A verdade é que devemos nos aproximar sem idéias ou conceitos pré-concebidos, quando o relacionamento ocorre dessa maneira, a tendência é ficarmos artificiais. Mas, quando nos relacionamos com o objetivo de conhecer e de se dar a conhecer, as barreiras caem, os fantasmas são expulsos de nossa mente. À medida que os jovens vão se relacionando e criando situações para estarem juntos, não precisarão mais estar preocupados em causar boa impressão nos demais, "botar um charmezinho" e ter um bom conceito entre as (os) moças (os), ser visto como um bom partido. Isso acaba por tornar o relacionamento artificial e ruim. Não podemos esquecer que agora é o tempo para a qualificação, não para o casamento, e como discípulo do Senhor Jesus, se você quer encontrar alguém maduro para ter como marido ou esposa, seja maduro para ser encontrado por alguém.

Como podemos viver isso na prática?

 

  • Estar juntos, ser amigos, sem pretenções de nos comprometer.
  • Após os encontros com a igreja, sairem juntos sem a preocupação de sairem para gastar. "Se não for assim não serve"; "não tenho roupa, carro..." Vá com o que você tem e é.
  • Não proponha apenas para aquela(e) que você acha que é do seu nível, somos irmãos (Rm 15:2).

 

O ambiente entre os rapazes e as moças deve ser de amizade:

 

  • Os rapazes devem aprender a serem cavalheiros, gentis, cordiais, educados; levar as moças em casa, abrir a porta do carro...
  • As moças devem aprender a receber esse tratamento sem pensar bobagens. É verdade que, às vezes, em alguns casos essa prática é tão rara por parte dos rapazes, que acaba por levantar suspeitas por parte das moças;
  • Os rapazes e moças devem aprender a desenvolver amizade; um sorvete, um lanche... evitem ficar sozinhos, andem em grupo (Sl 119:63);
  • Evitem a formação de "panelinhas" (Tg 2:9);
  • Estar juntos não somente para lazer ou um tempo informal, mas também para orar, edificar, profetizar sobre a vida uns dos outros, consolar (cuidado para não ser exagerado (a), animar (Rm 14:19) (Cl 3:16) (I Ts 5:11) e evangelizarem juntos;
  • O relacionamento entre os jovens é importante pois eles precisam se conhecer para saberem como pensam, como reagem, como são diferentes, como elas são frágeis e fortes ao mesmo tempo;
  • Cuidado com as "torcidas organizadas", isso são coisas do mundo. Armações, comentários, empurrões irresponsáveis, precisamos dar um basta nisso. Alguns casados são verdadeiros criadores de problemas nesta área. Devemos estimular os relacionamentos, mas nunca as paqueras.

 

É nesse ambiente que poderá surgir algum interesse. A amizade é fundamental no transcorrer da vida dos jovens, é aqui em meio a tantas amizades que surgirá a sua escolhida (o). Dentro desse relacionamento de comunhão, vocês vão conhecer coisas que não conheciam, vão poder orar, se aconselhar... Haverá um relacionamento afetivo, amoroso, de cuidado e zêlo constante, uma verdadeira família (Gl 6:2,10). Outra coisa muito importante, é que na medida do possível, as famílias participem desse ambiente de amizade entre os jovens. Estar na casa uns dos outros para que as famílias da igreja possam conhecer o círculo de amizades de seus filhos com os demais jovens.

2- AMIZADE COM OBSERVAÇÃO

Para que um rapaz ou moça possam assumir um compromisso visando o casamento, eles precisam primeiro se conhecer dentro de um relacionamento de amizade pura, simples e sincera como irmãos em Cristo. Em meio a esse relacionamento de amizade é que surgirá o interesse pelo compromisso. A partir desse interesse, inicia-se a observação. Continua a amizade, mas agora com abservação. Antes de tomarem a decisão de assumirem um compromisso para o casamento, devem primeiro passar por um tempo de observação. Aqui há um princípio fundamental que precisamos guardar com todo carinho: Vou ser amigo daquela que vai ser minha esposa. Não podemos nunca pensar que não devemos nos comprometer com alguém que já nos conhece muito, é exatamente com com essa (e) que devo me casar.

CONHECER PARA ME COMPROMETER

E NÃO ME COMPROMETER PARA CONHECER

O que muda no relacionamento?

 

  • Nada. Devo apenas observar, o tratamento não muda nem com ela (e) nem com os outros. Vou desenvolver uma amizade que já existe

 

Quais as características da observação?

 

  • Se observa com os olhos e não com as mãos;
  • Discrição. É bom que ninguém saiba que você está observando. É bom lembrar que quando um rapaz está observando uma moça ou vice-versa, não estão competindo com os demais irmãos. Ninguém pense que corre o risco de ter "sua" moça ou "seu" rapaz "roubado". Eles são presente de Deus para nós. Se alguém for roubado é porque nunca foi de Deus;
  • Tanto os rapazes como as moças tem total liberdade para relacionar-se com os outros irmãos, pois, não se pertencem. Atenção rapazes! Vocês ainda não são o cabeça;
  • Não deixa marcas, não há envolvimento emocional;
  • Deve ser racional.

 

Somente os pais, discipulador e o companheiro devem saber. Você não deve dar um jeitinho para que outros fiquem sabendo e formem a torcida. Os discipuladores devem acompanhar tudo não como cupidos, mas como parte normal do processo de formação da vida do discípulo. Orando, investigando, e ajudando a discernir a vontade do Senhor.

O que fazer? Como se comportar?

 

  • Orar, buscar conselho, saber o que os pais, discipulador e companheiro pensam (Pv 11:14);
  • Comporte-se como se não estivesse observando, ou seja, da mesma maneira que você se comporta com os outros. Se alguém descobrir que você está obeservando, é porque você falhou na observação;
  • Seja amigo de quem você está observando.

 

É necessário ter convicção

 

  • Não se trata de uma paixão passageira ...
  • Não se trata de uma necessidade afetiva. Lembre-se: Gostar é condição necessária, mas não é o suficiente para casar-se.

 

O perigo da precipitação

 

  • Você está definindo um relacionamento para o resto de sua vida, não pode haver pressa, vá devagar !!! (Pv 19:2).

 

Chegou a hora da decisão. Você precisa responder algumas perguntas:

 

  • Você já a (o) conhece o suficiente para pedi-la (o) em casamento?
  • Você tem segurança no que sente por ela(e)?
  • Está disposto (a) a passar o resto de sua vida com ela (e)?
  • Você sabe qual a direção de Deus?

 

Se a resposta for "não", você deve afastar-se, sem deixar marcas, feridas ou problemas. Se a resposta for "sim", então é a hora de declarar os sentimentos. Flôres, cartões, chocolates, seja criativo! Agora é a hora de demonstrar que ela (e) foi escolhida (o). Atenção rapazes! Depois de declarar seus sentimentos, é hora de falar com os pais dela e pedir sua permissão e bênção para o compromisso pretendido. É na presença dos pais e com o consentimento deles, que o compromisso se torna oficial. Mais tarde, numa reunião da igreja serão apresentados aos demais irmãos, tornando público o compromisso assumido. Esse compromisso para o casamento será tratado como noivado.

O que os rapazes devem observar nas moças?

- Se é comprometida com Deus e com sua palavra

- Se é santa

- Se é ajudadora e companheira

- Se sabe fazer todas as tarefas da casa

- Se é mansa e submissa

- Se não está desesperada (sem controle)

- Se tem boa relação com os pais ( tem a benção dos pais)

- Se tem bom relacionamento com os outros irmãos

- Se é alegre e grata a Deus

- Se é rixosa (Pv 19:13 ; 21:9,19 ; 27:15)

- Se é trabalhadora e responsável

- Se é ordeira e higiênica

- Se é discreta e feminina

- Se é crítica

- Se é decidida e segura

SE ELA (E) É BONITINHA (O) OU NÃO, ISSO EU JÁ SEI,

AGORA TENHO QUE CONHECÊ-LA (O)

O que as moças devem observar nos rapazes?

- Se é comprometido com Deus e com sua palavra.

- Se é maduro para discernir a vontade de Deus.

- Se está identificado com a visão do homem casado (sacerdote, profeta e rei).

- Se está desesperado para casar (sem controle).

- Se é obediente aos pais.

- Se tem um bom emprego.

- Se está pronto para sustentar uma casa (controle financeiro).

- Se é caprichoso (ordeiro)

- Se é responsável

- Se é íntegro (termina tudo que começa)

- Se é egoísta

- Se é iracundo

- Se é corajoso – enfrenta a provação

- Se é decidido, com iniciativa (não inseguro)

- Se é fiel e cumpridor

- Se tem as prioridades em ordem

3- AMIZADE COM COMPROMISSO

O compromisso para casamento vai surgir num ambiente de muita amizade que foi gerado entre o rapaz e a moça. O caminho até aqui não foi emocional, conduzido por paixão. Quando assumem o compromisso para o casamento (noivado), é porque alcançaram um mínimo de maturidade suficiente para isso. Porque um mínimo de maturidade? Por que ninguém se casa sendo completamente maduro, ela vira com o tempo, com os anos de experiência juntos:

- Maturidade espiritual

- Maturidade emocional

- Maturidade física (condições financeiras não se aplicam às moças)

OBSERVAR PARA SE COMPROMETER,

E NÃO SE COMPROMETER PARA OBSERVAR

Como deve ser? Esta é uma nova dimensão da amizade. Agora podem se conhecer ainda mais. Já começam a ter coisas em comum. Deve haver forte amizade, carinho e serviço. Aqui surge um outro tipo de amizade, agora com compromisso, mas ainda não é o casamento. Serão mais uma junta e ligamento.

O que deve acontecer:

 

  • Oração
  • Edificação/comunhão
  • Conhecerem-se ainda mais profundamente
  • Colocar alvos juntos
  • Não devem se isolar dos demais
  • Tratarem diversos aspectos do caráter no relacionamento. É a hora de tratar problemas que se evitam no futuro
  • Preparem-se para o casamento

 

Que tipo de relacionamento físico deve haver?

Nenhum. O sexo é reservado exclusivamente para o casamento. Neste tipo de relacionamento deve haver apenas expressões de carinho e afeto, ou seja, o mesmo que se tem com os demais irmãos ou irmãs, e nada mais até o casamento. Mais do que isto seria defraudação ( despertar um desejo que não se pode satisfazer) e impureza. Neste relacionamento de amizade com compromisso deve haver um cuidado redobrado com a área de contato físico. A base bíblica para este ensino é tudo que conhecemos sobre santidade e pureza (1Ts 4:3-8) (Hb 12:14).

Qual o princípio? Contra a sensualidade não há lei, portanto: NADA QUE CONDUZA A SENSUALIDADE. Deve haver honestidade e sensibilidade de coração. Os dois podem e devem ajudar um ao outro a fim de manterem um relacionamento santo e puro diante do Senhor (I Pe 1:15,16).

Alguns conselhos:

 

  • Ninguém se julgue forte
  • Nunca confie em você
  • Nunca fique sozinho
  • Não permitir o mínimo deslize
  • Caso um queira avançar o outro deve detê-lo
  • Deve haver temor
  • Sempre andar na luz