COMO DEVE SER TRANSMITIDO O ENSINO

PARA A IGREJA - A CATEQUESE

De que maneira os apóstolos transmitiram todo seu ensino a igreja do primeiro século? Os irmãos daquele tempo eram simples e muitos deles não sabiam ler nem escrever (At 4:13)(l Co 1:18-31 ;  2:1-6). Não tinham imprensa nem papel. Também não tinham Bíblias. Quais foram os recursos que os apóstolos utilizaram?  A palavra “KATEQUEO” que aparece no texto original do Novo Testamento, e que foi traduzida para a língua portuguesa como “INSTRUIR”, nos ajuda a entender como se deu a transmissão do ensino de Cristo pelos apóstolos a igreja daquela época. Os apóstolos usavam a prática da constante repetição da verdade (catequese - do grego “katequeo”: instruir oralmente por meio de contínua repetição).  

 

Cremos que ao longo dos últimos anos temos progredido na prática dessa verdade, mas, lamentavelmente ainda estamos longe da prática apostólica, ainda confiamos muito em nossas muitas explicações e pregações muito bem elaboradas. Que o Senhor nos mostre, por sua misericórdia, o quanto isso é ineficaz, que aprendamos a confiar na transmissão oral e repetida do ensino. Confiar na palavra de Deus, e no poder que ela tem de tocar o coração do homem. Jesus repetia seus ensinos, um exemplo disso é o sermão do monte registrado em Mateus 5, 6 e 7. Jesus fala sobre vários aspectos da vida de um discípulo; quando se compara com Lucas 6, percebe-se que são as mesmas coisas em  lugares diferentes.  Os discípulos estavam  sempre  ouvindo sobre todo o  seu ensino. Amar  o  inimigo,  dar  a  outra face,  não  cobiçar  a  mulher  do próximo, não julgar, não estar ansioso por nada deste mundo, entrar no quarto  para  orar,  jejuar,... enfim, ouviam sobre tudo!

Eles não andavam buscando novidades ou inventando coisas. Mas as coisas importantes que ensinavam eram repetidas por muito tempo até que todos tivessem aprendido bem. “Quanto ao mais, irmãos meus, alegrai-vos no Senhor. A mim, não me desgosta e é segurança para vós outros que eu escreva as mesmas coisas.” (Fl 3:1) ”Por esta razão, sempre estarei pronto para trazer-vos lembrados acerca destas coisas, embora estejais certos da verdade já presente convosco e nela confirmados.  Também considero justo, enquanto estou neste tabernáculo, despertar-vos com essas lembranças,  certo de que estou prestes a deixar o meu tabernáculo, como efetivamente nosso Senhor Jesus Cristo me revelou.  Mas, de minha parte, esforçar-me-ei, diligentemente, por fazer que, a todo tempo, mesmo depois da minha partida, conserveis lembrança de tudo.” (2 Pe 1:12-15)

Eles tinham poucas coisas, bem ensinadas, bem aprendidas e que eram bem transmitidas a outros.

A palavra instruir, utilizada na tradução da Bíblia para a língua portuguesa, não define exatamente como deve ser o ensino, instruir é um termo muito vago, indeterminado. O dicionário define como: Transmitir conhecimentos. Mas como? Com essa definição podemos instruir da maneira que acharmos melhor. Já a palavra "catequizar", traz em si mesma a forma e o conteúdo.  A forma é a repetição e o conteúdo é simples.  O próprio significado da palavra deixa claro que a forma de catequizar é pela repetição e o seu conteúdo é simples, ou seja, tudo o que Jesus ensinou. Por isso, entendemos que a palavra “KATEQUEO” não deveria ter sido traduzida, mas sim transliterada (transportada do texto original, utilizando-se de vocábulos correspondentes da língua de destino). Em vez de traduzir “KATEQUEO” como "instruír", deveria ter sido transliterada como "catequizar".

Vejamos outro exemplo: A palavra batismo foi transliterada. No texto original ela aparece como “BATISMÓS”. Nela também está incluído a forma e o conteúdo, ou seja, a forma é o sepultamento, o mergulho, a imersão. O conteúdo é  Cristo. No batismo sou colocado nEle, revestido dEle, unido a Ele.

 Vejamos alguns exemplos onde a palavra “KATEQUEO” foi traduzida como instruir:

 Lc 1:4 – "Para que tenhas plena certeza das verdades em que fostes instruídos".  Lucas não diz que Teófilo (a quem Lucas está escrevendo) se “auto instruiu”, mas diz que alguém o instruiu -  alguém o catequizou. As verdades acerca da vida de Jesus foram repetidas a ele muitas vezes até que ele pudesse guardar.

 Atos 18:25 “Era ele (Apolo) instruído (catequizado) no caminho do Senhor; e, sendo fervoroso de espírito, falava e ensinava com precisão a respeito de Jesus,”  Alguém o catequizou, alguém o instruiu repetidas vezes a respeito das mesmas coisas. Por isso ele podia falar com precisão a respeito de Jesus.

Romanos 2:18 “ que conheces a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído na lei;” O povo judeu era catequizado na lei desde sua infância. Conhecia cada detalhe da lei. Deuteronômio 6:4-9 “ Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.  Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força.  Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração;  tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.  Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos.  E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.” Isso foi possível graças a repetição!

 1 Co 14:19: “... contudo prefiro falar à igreja cinco palavras com meu entendimento, para  instruir...” catequizar “... outros...” Paulo entendia que era sua a responsabilidade de catequizar.

 Gl 6:6 “... mas aquele que está sendo instruído...” catequizado “... na palavra faça participante das coisas boas aquele que o instruí...” catequiza. Aquele que está sendo catequizado deve fazer participante das coisas boas aquele que o catequiza.  Não diz que ele se catequiza a si mesmo, mas que alguém o catequiza.

 A repetição é importante não para sabermos a verdade, mas para nos mantermos nela.

A prática da catequese nos torna aptos a dar a razão de nossa fé. “... estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós,” 1Pe 3:15  Quando qualquer um dos discípulos for confrontado por causa daquilo que crê; ele não vai dizer: “É, lá em nosso meio, nós praticamos assim”. Não! Ele vai poder dizer: “As escrituras dizem que tem que ser assim, a verdade é esta”. E, dessa forma, poderá transmitir com clareza o conteúdo de sua fé. “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” 2Tm 2:15  Agora, não somente eles vivem, mas sabem explicar, sabem transmitir com clareza. “E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros.” 2Tm 2:2

Que confiemos mais na repetição da verdade, do que em nossas explicações a respeito da verdade. Vejamos alguns textos que destacam o poder da Palavra de Deus:

“Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus e para lá não tornam, sem que primeiro reguem a terra, e a fecundem, e a façam brotar, para dar semente ao semeador e pão ao que come,  assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei.”  Isaías 55:10-11

“De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra.”  Salmos 119:9

“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.”  Salmos 119:105

“Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.”  Mateus 4:4

 “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”  João 8:32

 “Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado;” João 15:3

 “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.” João 17:17

 “E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade.”  João 17:19

 “Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça.” Efésios 6:14

 “Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;” Efésios 6:17

 “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.” Colossenses 3:16

 “ Se alguém ensina outra doutrina e não concorda com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino segundo a piedade,  é enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas, altercações sem fim, por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro.” 1 Timóteo 6:3-5

 “prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina.  Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.” 2 Timóteo 4:2-4

 “Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração.” Hebreus 4:12

 “Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma.” Tiago 1:21

 “Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente, 23  pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente.” 1 Pedro 1:22-23