Uma revolução na nossa vida de oração

George Verwer

Um dos mais deprimentes sinais na igreja de hoje é a falta de oração tanto a sós como em grupos. É quase incrível ver quão pouco a igreja em geral se apóia na oração para fazer a obra de Deus. Quando há uma reunião de oração, só um pequeno número participa. Noites de oração, reuniões de oração nos lares, dias de oração e jejum— uma parte tão importante da Igreja primitiva — parecem não ser mais que relíquias cristãs, hoje em dia. Porque estão ocupadas, as pessoas convencem-se de que estão demasiado ocupadas para orar. A Igreja tem procurado inúmeros substitutos para a oração a fim de levar a cabo o trabalho que só pode ser feito através da oração.

Se levarmos a sério o fato de sermos revolucionários espirituais, temos de decidir aprender a orar! Há muitos livros excelentes sobre o assunto, mas não há nada que substitua o ajoelharmo-nos e começarmos a orar. Samuel Chadwick disse: "A única preocupação do diabo é afastar os santos da oração. Ele nada receia de estudos sem oração, de trabalho sem oração, de religião sem oração. Ri-se do nosso labor, zomba da nossa sabedoria, mas treme quando oramos."

O cume do monte da nossa vida de oração será adoração. Todos os dias se deve reservar tempo específico para subir ao cume da realidade espiritual através da adoração, louvor e ação de graças. O rei Davi declarou: "Louvarei com cânticos o nome de Deus, exaltá-lo-ei com ações de graça. Será isto muito mais agradável ao Senhor do que um boi ou um novilho com chifres e unhas" (Salmo 69:30,31).

A autenticidade no culto criará uma revolução espiritual no homem interior, algo que poucas pessoas têm experimentado no século vinte. Não se conseguirá num ano ou dois, nem talvez em dez ou vinte. Contudo, uma vez que esta é a mais alta chamada do cristão, vale bem a pena, seja qual for o número de anos, chegar a conhecer a realidade no culto diário. Não há aspecto mais importante do que esta na revolução espiritual.

Há um sentido em que nós podemos "orar sem cessar", e fazer oração e louvar a Deus a qualquer hora do dia. Contudo, há também a necessidade de nos separarmos a nós mesmos dos outros seres humanos e de ficarmos a sós com Deus. Toda a Igreja e a causa de Cristo ao redor do mundo estão a sofrer por falta deste tipo de oração. Se a única resposta dada a este livro fosse a determinação de separar todos os dias um período definido para oração, louvor e deleite na Palavra de Deus, o livro seria eminentemente bem sucedido. Pois pela oração podemos chegar a ver os outros princípios da revolução espiritual, os quais nos levarão de vitória em vitória, na medida em que a Palavra de Deus se mistura com a nossa fé.

Extraído do livro: Vida em Profundidade